Get Adobe Flash player
Nosso Endereço:
Rua Riachuelo, 693 - Ponta Grossa - Pr
Telefone: (42) 3224-1632
E-mail: recados@iecdpg.org.br
Localize no Google Maps
Assine por e-mail:

Digite seu endereço de email para assinar este site e receber notificações de novas publicações por email.

Pedido de Oração:
Pedidos de Oração
Previsão do tempo:
Arquivo
Calendário 2017:
Ano do Compromisso com a Palavra

Providência, Reações e Necessidades

Pr. Jacson Irio Andrioli

Hoje quero falar com você sobre três palavras que de alguma maneira estão ligadas conosco em nosso dia a dia e mostram a ação de Deus em cada instante!

1. Providência:
Significado da palavra: disposição prévia dos meios necessários para a conseguir ou alcançar um fim. Em outras palavras: a ação pela qual Deus conduz os acontecimentos e as criaturas para o fim que lhes foi destinado.

Muitas vezes somos surpreendidos com a maneira que Deus provê determinadas coisas e soluções para nossos problemas. Vamos ler alguns versículos:

Então Boaz disse a Rute: —Escute, minha filha. Não vá catar espigas em nenhuma outra plantação. Fique aqui e trabalhe perto das minhas empregadas. Preste atenção e fique com elas no campo onde vão cortar espigas. Eu dei ordem aos empregados para não mexerem com você. Quando ficar com sede, beba da água que os empregados tirarem para beber.
Aí Rute ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e disse: —Por que é que o senhor reparou em mim e é tão bom para mim, que sou estrangeira?
Boaz respondeu: —Eu ouvi falar de tudo o que você fez pela sua sogra desde que o seu marido morreu. E sei que você deixou o seu pai, a sua mãe e a sua pátria e veio viver entre gente que não conhecia. Que o SENHOR a recompense por tudo o que você fez. Que o SENHOR, o Deus de Israel, cuja proteção você veio procurar, lhe dê uma grande recompensa.
Rute disse a Boaz: —O senhor está sendo muito bom para mim. O senhor me dá ânimo, falando comigo com tanta bondade, pois eu mereço menos do que uma das suas empregadas.
Na hora do almoço, Boaz disse a Rute: —Venha aqui, pegue um pedaço de pão e molhe no vinho. Então ela sentou-se ao lado dos trabalhadores, e Boaz lhe deu cevada torrada. Ela comeu até ficar satisfeita, e ainda sobrou. Quando Rute se levantou para ir de novo catar espigas, Boaz ordenou aos empregados: —Deixem que ela apanhe espigas até no meio dos feixes e não a aborreçam. Tirem também algumas espigas dos feixes e deixem cair para que ela possa apanhar. E não briguem com ela. (Rute 2: 8 – 16)

 

A História de Rute é conhecida, mas vamos relembrar: Rute era moabita, nora de Noemi.  Tanto Rute como sua sogra haviam ficado viúvas e Noemi resolveu voltar para sua terra natal, e Rute decidiu seguir sua sogra. Ao chegarem em Belém elas não tinham o que comer, então Rute foi rebuscar, catar espigas que sobravam ou caiam no momento da colheita e estas espigas os proprietários das terras permitiam que fossem ajuntadas por viúvas e outras pessoas necessitadas.

A providência sobre a vida de Rute foi o fato de rebuscar nas terras de Boaz que era da família do pai de seu marido falecido, que nos termos da lei judaica da época teria o direito de se casar com ela para manter a descendência.  A mão de Deus guiou Rute até aquele lugar, pois suas providência era além do sustento físico que ela e sua sogra necessitavam.

Mas,  veja em sua vida quantas vezes Deus proveu algo para você!  embrando de outra situação citada pelas escrituras é justamente a sequência das palavras de Abraão quando foi para sacrificar seu Filho Isaque: “Deus proverá”!  É nas situações adversas que percebemos o quanto Deus cuida da humanidade.

Veja o que Noemi diz no versículo 20 (Rute 2. 20):

E Noemi disse: —Que o SENHOR abençoe Boaz, que sempre tem sido bom, tanto para os que estão vivos como para os que já morreram! Noemi continuou: —Esse homem é nosso parente chegado e um dos responsáveis por nós.

Precisamos entender que a providência de Deus não é como um jogo, onde Ele move as peças do tabuleiro aleatoriamente, pelo contrário, Deus nos permite fazer escolhas, e se o buscarmos, guiará nossos passos, permitindo-nos encontrar aquilo de que realmente necessitamos para nossas vidas.

2. Reações:

Jesus saiu daquele lugar, e no caminho dois cegos começaram a segui-lo, gritando: —Filho de Davi, tenha pena de nós!  Assim que Jesus entrou em casa, os cegos chegaram perto dele. Então ele perguntou: —Vocês crêem que eu posso curar vocês? —Sim, senhor! Nós cremos! —responderam eles.  Jesus tocou nos olhos deles e disse: —Então que seja feito como vocês crêem!  E os olhos deles ficaram curados. Aí Jesus ordenou com severidade: —Não contem isso a ninguém! Porém eles foram embora e espalharam as notícias a respeito de Jesus por toda aquela região.  Quando eles foram embora, algumas pessoas levaram a Jesus um homem que não podia falar porque estava dominado por um demônio. Logo que o demônio foi expulso, o homem começou a falar. Todos ficaram admirados e afirmavam: —Nunca vimos em Israel uma coisa assim!  Mas os fariseus diziam: —O chefe dos demônios é quem dá a esse homem poder para expulsar demônios.  (Mateus 9: 27 – 34)

Nestes versículos conseguimos ver três grupos de pessoas e cada um teve um tipo de reação. Como você reage quando está contente? Curte e compartilha? Quando algo de bom nos acontece, logo procuramos alguém para contar a novidade, ou em outras palavras, procuramos as redes sociais e postamos uma foto para que todos vejam o que está acontecendo.

Voltemos ao texto: primeiro os dois cegos, foram advertidos que não falassem para ninguém o que Jesus fizera por eles. Mas justamente o contrário aconteceu…  Imagino que faria exatamente o mesmo que estes dois homens fizeram, sairia contando para todos que eu encontrasse na rua e diria: eu era cego e agora posso enxergar, Jesus que fez isso em mim.

No segundo caso vemos Jesus expulsando o demônio de um rapaz, a multidão que via tudo ficou admirada e diziam que nunca tinham visto algo assim. Quando a situação não é diretamente conosco, ficamos indiferentes, o máximo que acontece é  uma admiração!

O terceiro caso vemos uma reação bem diferente dos fariseus, agora a motivação era a inveja e a revolta. Eles não podiam negar que um mudo voltou a falar, mas a inveja lhe fez dizer que quem estava por trás de Jesus era um outro demônio. Eles sabiam quem Jesus era, suas críticas eram produzidas pela dúvida e inveja que sentiam de Jesus e de seu carisma.

Sabe, as vezes fico olhando as reações das pessoas que podem ser bem positivas ou bem negativas dependendo da motivação ou do que esperavam com o acontecimento. Um versículo que  fala muito ao meu coração:

A pessoa boa tira o bem do depósito de coisas boas que tem no seu coração. E a pessoa má tira o mal do seu depósito de coisas más. Pois a boca fala do que o coração está cheio.  (Lucas 6:45)

3. Necessidades

Certa mulher, que era viúva de um dos membros de um grupo de profetas, foi falar com Eliseu e disse: —O meu marido morreu. Como o senhor sabe, ele era um homem que temia a Deus, o SENHOR. Mas agora um homem a quem ele devia dinheiro veio para levar os meus dois filhos a fim de serem escravos, como pagamento da dívida. Eliseu perguntou: —O que posso fazer por você? Diga! O que é que você tem em casa? —Não tenho nada, a não ser um jarro pequeno de azeite! —respondeu a mulher. Eliseu disse: —Vá pedir que os seus vizinhos lhe emprestem muitas vasilhas vazias. Depois você e os seus filhos entrem em casa, fechem a porta e comecem a derramar azeite nas vasilhas. E vão pondo de lado as que forem ficando cheias. Então a mulher foi para casa com os filhos, fechou a porta, pegou o pequeno jarro de azeite e começou a derramar o azeite nas vasilhas, conforme os seus filhos iam trazendo. Quando todas as vasilhas estavam cheias, ela perguntou se havia mais alguma. —Essa foi a última! —respondeu um dos filhos. Então o azeite parou de correr. Ela foi e contou ao profeta Eliseu. Aí ele disse: —Venda o azeite e pague todas as suas dívidas. Ainda vai sobrar dinheiro para você e os seus filhos irem vivendo. (II Reis 4:1 – 7)

Todas as vezes que estamos passando por alguma necessidade seja ela financeira, de saúde ou emocional imediatamente corremos atrás de alguma solução ou ajuda.  Se faltar dinheiro corremos ao banco e fazemos um empréstimo. Se for doença procuramos ajuda em hospitais ou médicos de confiança.   Se o problema for emocional, vamos em busca da ajuda de um bom amigo.  Em linhas gerais temos saída para quase todas as coisas. E assim nos sentimos seguros! Porque aparentemente temos tudo ao nosso controle.

Normalmente nos esquecemos de Deus e do seu poder.     Preferimos confiar em nossos contatos (autossuficiência) ou na ajuda de uma outra pessoa amiga, e então se não conseguirmos, procuramos Deus. Bem, entenda que foi Deus quem nos fez seres relacionais, foi Deus quem nos deu sabedoria para gerarmos a tecnologia, a ciência e tantas outras coisas, porém Deus nos adverte que não devemos fazer do nosso entendimento um deus ao qual confiamos toda a nossa vida.

A viúva de nosso texto confiou inteiramente na palavra de Deus dita pela boca do profeta Eliseu. Imagine se ela tivesse deixado pra lá, não dando atenção às palavras do profeta? Será que ela teria visto o milagre em sua casa, será que ela teria conseguido o dinheiro para pagar sua dívida de outra forma?

Muitas vezes não arriscamos no campo da fé e perdemos no campo da autossuficiência! A palavra de Deus nos aconselha a colocarmos diante de Deus todas nossas aflições, todas as nossas necessidades, e na sequência agir de acordo com as instruções que Ele for nos dando.

Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido. E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus. (Filipenses 4: 6- 7)

Confie no SENHOR de todo o coração e não se apóie na sua própria inteligência. ( Provérbios 3: 5)

Conclusão:
Deus age sobre nossas vidas com sua providência em todas as situações, o final da história vai depender de nossas reações: crer ou não crer, ouvir e obedecer, ou ouvir e desprezar.    Um bom entendimento é saber que Deus dá aos que confiam nele, e estes terão suas necessidades supridas.

Aniversários do Mês:
OUTUBRO

01 - Kelly
04 - Maurício
05 - Mateus Fipke
08 - Noemi
09 - Mirian
09 - Sandra
11 - Ana Paula
13 - Plínio Filho
16 - Malcon
21 - Meri
22 - Marcilene
22 - Carlos K.
23 - Rosana
24 - Lorena
27 - Vanessa
29 - Ana Paula K.
31 - Taty
Eventos do mês:
08/10 - Almoço Comunitário- 12:30 horas, R$ 22,00 por pessoa.
12/10 - Festa das Crianças - Das 14:00 às 17:00 horas.
21/10 - Café Colonial - 14:30 horas - R$ 25,00 por pessoa.
Datas comemorativas:
12 - Dia das Crianças
15 - Dia dos Professores
31 - Reforma Protestante
Estatísticas do site:
Site criado em 23/02/2007.

Ano de 2015:
34.165 visitantes
45.895 visitas

Ano de 2016:
61.631 visitantes
93.210 visitas
Visitantes hoje: 127
Usuários Online: 1
Seu IP: 54.157.81.13